Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]

Casa da Gorda

Casa da Gorda

Qua | 12.02.20

Conheçam as bodas de casamento para os primeiros 10 anos

Gorda

lovem.png

 

 

Como estamos mesmo a chegar ao dia dos namorados e como o dia dos namorados é invariavelmente um dia que acaba em ajuntamentos de pecado, parentalidade não programada ou casamentos mal pensados, pareceu-me adequado celebrar o amor com uma visão disruptiva sobre os dez primeiros anos de casamento.

É fácil encontrar online o significado das bodas de cada ano de casamento, eu julgava que eram apenas os 25 ou os 50, mas afinal há bodas todos os anos sobre merdas que uma pessoa jamais conseguirá entender.

Assim sendo, decidi reescrever as bodas para os primeiros dez anos. Espero que vos apoie para que o amor e a perseverança nunca vos faltem.

 

1 ano – Bodas de caramelo

Não se largam, acham que o amor é para sempre. Todos os motivos e nenhuns são bons para dar uma pinocada. Elas têm a certeza que eles nunca vão papar outra e eles reconhecem que elas só têm olhos para eles. Ninguém se esquece das datas especiais, onde se inclui o dia em que se conheceram, o dia em que perceberam que ele tinha interesse nela, o dia em que ela percebeu que tinha interesse nele, o dia em que saíram juntos pela primeira vez, o primeiro beijo, o primeiro pinanço, o assumir da relação, quando ela conheceu os sogros (e a sogra ainda gostava dela porque era passageiro), quando ele conheceu os sogros (e o sogro ainda achava que ela era um bom rapaz), quando compraram casa, quando foram morar juntos, quando casaram. A vida está toda pela frente e vão construir uma família linda em cor de rosa algodão e azul céu em dia de primavera.

 

2 anos – Bodas de Muffin com creme de avelãs

O amor ainda existe mas ele já quer ter um dia da semana para ir jogar à bola com os amigos, quando está com os comparsas vem com a ideia que não tem de baixar o tampo da sanita, mas como o amor ainda é grande acabam por resolver o mal entendido com uma queca. Ela vai jantar com as amigas e há sempre uma delas que está numa aventura amorosa tremendamente emocionante. Sexo escaldante e viagens surpresa. Ainda não há monotonia mas já não há tanto desejo. Viajam e voltam revigorados.

 

3 anos – Bodas de bolo de chocolate

O amor resiste e a casa já está toda decorada, a melhor amiga dela vai ser mãe e começa a nascer o desejo de ter uma semente naquele ventre cheio de vigor. Os pais têm saúde e estão sedentos de ter netinhos a correr pela casa, por isso vão poder ajudar para que as carreiras de cada um não se esmoreçam. Ele não tem bem a certeza porque um dos amigos teve um puto no ano anterior e agora só acha alguma coisa lá de mês a mês. Mas ela quer e o amor é lindo e sem filhos não há quartos em cores fofinhas. Aquilo são lá coisas da vida do amigo que não orientou a mulher certa.

Ficam entusiasmados com a coisa e desatam às berlaitadas em todas as ocasiões para pôr um descendente naquela barriga.

Ainda se lembram das datas principais, celebram o dia de aniversário e compram prendas com significado para celebrar o aniversário de casamento.

 

4 anos – Bodas de beberão

Nasceu o querubim. Ela ainda está com peso a mais e não se maquilha vai para seis meses. Tem vontade de lhe dar umas lambadas sempre que ele quer ia jogar à bola com os amigos, mas reconhece que ele tem de ter tempo para descansar a cabeça. Ele fica com o puto enquanto ela se tenta arranjar para ir jantar com as amigas, mas as outras falam de noites soberbas enquanto ela só põe as mamas de fora para alimentar a prole.

A sogra tornou-se numa velhaca que sabe criar melhor o puto que ela e o sogro quer mais é que o gajo se escavaque num acidente de viação grave por ter engravidado a filha que ia ser a maior não-sei-o-quê do país.

Os jantares de família são passados com trocas de bujardas de todos os lados e já não fazem as pazes ao chegar a casa com uma boa tourada porque o puto tem cólicas e é preciso atender ao que precisa.

Ainda comemoram o dia de aniversário de casamento porque a mãe dela fica com o puto. O dia dos namorados é regado a chocolates e estão demasiado ocupados a decorar as datas das consultas e das vacinas para se lembrar quem é que deu em cima de quem.

A ultima discussão foi de bradar aos céus porque ela insiste que ele é que andava atrás dela e ele diz que acabou a envolver-se porque ela não passava sem ele.

 

5 anos – Bodas de bosta na fralda

As coisas acalmaram e o amor fraterno fala mais alto. Começam a pensar que o querubim precisa de uma maninha para crescer feliz, afinal de contas todos os amigos têm dois e dizem que, apesar de dar trabalho pode ser uma boa ideia. Motivados desatam a pinar como doidos. Agora já têm mais algum tempo e o puto já está na cama dele.

Ela organizou a agenda e lembra-se de como foi quando se beijaram pela primeira vez e prepara-lhe uma surpresa picante para o dia dos namorados. Ele gostou mas pergunta-se se com 5 anos e casamento ainda faz sentido comemorarem o dia dos namorados. Não lhe tinha comprado nada.

Comemoram o aniversário de casamento e publicam nas redes sociais aquele amor verdadeiro que é para sempre.

 

6 anos - Bodas do "vais lá tu desta vez"

Ela deu o grito do ipiranga e já não está para se levantar sempre que a criançada berra, até porque acabou por perceber que ele também tem responsabilidades enquanto progenitor e pode levantar o cu da cama.

Ele anda mais cansado porque também não dorme uma noite seguida.

Ela oferece-lhe um pack de seis cuecas sem buracos e ele dá-lhe um aspirador daqueles que anda pela casa a aspirar sozinho.

O gato gosta porque anda montado naquilo, o que até é bom porque ela partiu um incisivo depois de ter tropeçado naquela merda porque se esqueceu que o aspirador era silencioso e estava programado para aspirar à noite, a luz estava apagada e ela chegou com os dentes à pia antes de lá pousar o pipi.

 

7 anos - Bodas do "tás aqui tás na tua mãe"

Este é o ano da crise conjugal. Há tanto mistério com a crise dos 7 que qualquer merda que acontece é sempre culpa dos anos de casados, mesmo que já vivam juntos há mais de 10.

Ela ainda o culpa por ter partido um incisivo no pia e lamenta nunca mais poder dar numa gargalhada numa discoteca sem que se saiba que ela não tem um dente na fronha.

As discussões são frequentes porque ele não aspira tão bem quanto ela queria e ele não escuta porque aprendeu a entrar em modo meditação-relato sempre que ela fala por mais de 5 minutos seguidos, o suficiente para fixar um recado simples. Por este motivo quando ela lhe pede que ele vá comprar 3 itens ele deixa de fora um deles porque já não estava a ouvir quando ela o disse.

 

8 anos - Bodas de lixo por despejar

Ele insiste em não baixar o tampo da sanita e ela já acha que a incapacidade de aprender coisas simples é uma deficiência que devia estar declarada em IRS. Ela já não tem ciumes que ele vá à bola com os amigos e até prefere esses serões para pôr em dia as leituras de livro erótico. Ele está confinado a tarefas simples e que não careçam de pareceres de estéticos nem decisões com raciocínio de conjugação de padrões, pelo que é responsável por despejar o lixo dia sim, dia não, merda que nunca cumpre porque se está sempre a esquecer.

 

9 anos - Bodas de Chanfana

Ela não perdeu o peso que ganhou com a última gravidez e ele aproveitou para engordar como um porco para lhe fazer companhia. Alegou gravidez psicológica.

Ela começa a meter na cabeça que quer ser boa apesar de mãe e esposa e ele começa a ficar preocupado que isso lhe custe umas boas chanfanas e todos os jantares com sobremesas de embalagens.

Já não vão jantar fora, com sorte dão uma pinadela se for véspera de dia de folga, porque durante a semana não dá para isso, até porque a pessoa toma banho antes de se deitar e isso implicava um segundo duche pela manhã e o corpo não está habituado.

Não compraram nada um ao outro e vão com os putos ao Mcdonald's comer Happy Meals para ganharem vários brindes.

 

10 anos - Bodas de aperta as nalgas

Ela começa a fazer contas de cabeça e fica frustrada quando vê o gordo sentado no sofá a coçar o cu enquanto dá liberdade ao circuito intestinal. Ela queria melhor.

Olha para o espelho e vê umas marufas caídas e mal amparadas. Sabe que as cuecas estão gastas e com buracos, não usa saltos há mais de 2 anos e tem umas olheiras tão castanhas que parece ter levado dois bananos.

Nenhum se lembrou da data e ela pensa que apesar de ser véspera de feriado ele adormeceu depois de ver a Guerra dos Tronos.

Ela decide investir umas massas no personal trainer e vai ao ginásio 3 vezes por semana. Os putos ficam com os avós. Ele fica com medo porque ela começa a adelgaçar e decide meter-se nas corridas. Ao fim de 6 meses já ninguém pode com eles porque são daqueles casais gordos que agora têm a mania que são fits. Programam comemorar o 11º aniversario numa corrida de 10 km.

 

 

 

Se apreciou este pedaço de soberba escrita, não se esqueça de:

Fazer gosto na página de Facebook.

Acompanhar a conta de Instagram (onde pode ter acesso às palermices desta Gorda, sem códigos da Prozis).

Subscrever o blog por e-mail, é só ir aqui à coluna do lado direito e poderá ser bombardeado com notificações a avisar que há mais coisas para ler.