Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]

Casa da Gorda

Casa da Gorda

Qua | 17.04.19

Coisas

Gorda

Dar a um post o título de "Coisas" é mais ou menos o mesmo que ir ao restaurante, perguntar de que é que é a sopa e o empregado esclarecer que é "de legumes". A pessoa não sabe na mesma o que é que vai comer mas fica com a certeza de que não é canja.

Tirei uns dias de férias para desarrumar a minha casa porque vou fazer obras de fundo e decidi que não ia desgastar a minha cabecinha linda e amorosa com escritas e afins. Afinal de contas uma pessoa tem de repousar a mente por forma a deixar a que criatividade fermente e magnificas ideias floresçam. Quais papos-secos da boa enjorcância (esta palavra não existe) de conteúdos. O mal é que esta decisão foi tomada em sede de problema gástrico severo, depois de o meu estômago ter tido um encontro imediato com meia dúzia de camarões que morreram de contra vontade e estavam menos bons. A cabeça tende a estar pouco paciente nestas alturas e a decidir coisas como «vou parar porque tenho de parar e entretanto aí que tenho uma cólica e vou à casa de banho».

Assim dou comigo estes dias em casa, a preparar-me para trabalhar mais do que estando ao serviço, por isso aproveitei para fazer aquilo que queria fazer desde que criei o blogue: melhorar o seu aspeto. Essencialmente, arranjei forma de adiar o arredar de móveis e o encaixotar de livros e o deitar fora de tralha e de pacotes de massa cuja validade terminou em 2016. Decidi melhorar o aspeto da chafarica. Podia dizer que não queria que isto chegasse a fazer 1 ano com o mesmo aspeto, mas é mesmo a minha preguiça física que me está a agarrar à cadeira.

Maneiras que, depois de um pequeno almoço tardio, arregacei as mangas e sentei-me ao computador para a tarefa hercúlea de melhorar a sua decoração. Eu tenho tanta competência para decorar coisas que acho que teria mais possibilidades de carreira como lutadora de MMA do que numa loja de cortinados. É assim, cada um nasce para o que nasce. Tenho tão pouca paciência para a decoração que, em menos e 2 horas decidi a cor de azulejos, chão, paredes, casa de banho e a escolha integral da minha cozinha. Como diria o Deadpool «maximum effort». Tudo para me evadir dessa tarefa o mais depressa possível.

Assim, não será de espantar que ao fim de 15 minutos a escolher cores para o estuque do blogue, os meus nervos já estivessem a desfazer-se de forma orgânica. Dei cabo da cabeça ao meu marido, que nestes momentos tem de me aturar a ter comportamentos impacientes de uma criança de 3 anos e, sem querer, dei comigo na área de templates da sapo. Foi como se tivesse visto o Santo Graal, mas ainda com mais entusiasmo.

Dei com este template, apliquei e até ganhei algum amor aos catos, que me parecem condizer tão bem com as histórias românticas de amor que aqui deixo.

Assim, e como aliás já vem a ser meu apanágio, fui de férias mas só faz-de-conta e afinal tive coisas para dizer. Eu tenho sempre uma merda qualquer para dizer. You just can't shut me up. Deve ser por isso que eu e o Deadpool somos almas gémeas, ele é que ainda não sabe.

Espero que gostem do novo aspeto da tasca. Eu gosto, especialmente porque não me deu trabalhinho nenhum.

Gracias Sapito, pero que eres un amphibio muy guapo.

 

(Ah, e agora podem ver na lateral o que é que a Gorda está a ler e o que leu antes, não é giro, até passo por letrada e coisas...)

 

 

Para mais conteúdos podem sempre acompanhar a Gorda no Instagram.

Ou ainda na conta de Facebook.

 

 

4 comentários

Comentar post