Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]

Casa da Gorda

Casa da Gorda

19
Set18

Sai uma vela p'a Malveira

Gorda

(nível de sofrimento para escrever este texto: máximo)

 

Quando eu era miúda os passeios de sábado à tarde eram sempre iguais: íamos em família ao Pão de Açúcar para fazer as compras da semana e tínhamos de gostar; afinal de contas era isso ou levar uns calduços e esses nós não gostávamos mesmo. 

Enfim, passeio de pobre no final dos anos 80 era uma tarde bem passada entre os enlatados e o bacalhau por dessalgar.

Quando chegávamos ao supermercado deixávamos a mãe na fila para o peixe e íamos com o pai comprar as coisas de menor responsabilidade. Nessa demanda tentávamos sempre ver se ele nos comprava alguma coisa nova: umas bolachas, uns cereais, uns chocolates. Mas, invariavelmente a resposta era não. Não porque não nos comprasse nada (o pai sempre foi mais fácil de convencer que a mãe), mas porque achava que não fazia sentido comprar coisas que não eram conhecidas. Por regra, quando na semana seguinte estava uma menina a oferecer uma amostra para experimentar e magotes de pessoas a comprar o meu pai aparecia com 2 ou 3 embalagens do que nos tinha sido negado. Resposta "estava toda a gente a comprar, é porque deve ser bom".

Herdei esse gene, o dito não se manifesta para os perecíveis como acontecia com o meu pai, mas tem muito impacto com a forma como presto atenção às noticias cor de rosa: não sei de nada até haver alvoroço, que é como quem diz, quando já está toda a gente a comprar. Ai sim, vou provar para ver o porquê de tanto corrupio.

Vai desta e submeti-me a 20 minutos de televisão generalista, mais concretamente à entrevista da Cristina Ferreira na SIC. Claro que li as letras gordas das revistas a dizer que a mulher ia mudar de canal, certo que consta das fofocas que a pessoa vai ganhar rodos de dinheiro, ri-me que nem uma ensandecida com o vídeo da Filomena Cautela; mas para além disso pouco mais tinha a acrescentar.

Gosto da Tina, é uma tipa que, apesar de apenas possuir ovarios, podemos dizer com um elevado nível de certeza que "os têm bem firmes no sítio".

Compreendo que haja alarido, fomentado pela própria Tininha e pela equipa que a apoiará na SIC, afinal de contas quanto mais suspense e mais fofoca mais gatos curiosos vão apanhar no programa surpresa que para aí vem. Não me encaixa a conversa em torno do ordenado da mulher, afinal de contas qualquer jogador mediano de um dos 3 grandes clubes leva para casa mais do que esta desgraçada que entretém meio país 5 dias da semana.

Dito isto (que são verdades verdadeiras que andam cá dentro de mim e que libertei de forma honesta), sentei-me a comer o meu bifinho grelhado acompanhado de salada enquanto vi a entrevista.

E assim, sem mais delongas (porque já se faz tarde e eu tenho mais que fazer) vamos então ao que eu retive:

 

  1. O Rodrigo Guedes de Carvalho estava tão desconfortável que tenho a ideia que quando chegou a casa esteve mais de 40 minutos debaixo do chuveiro com água morna a bater-lhe nas costas. Podia jurar que o homem pensou o mesmo que o Jaime lá do serviço: "ando aqui há 25 anos e agora chega esta cabra nova e já vai comer mais que eu. Anda um gajo há anos a puxar pelo barco...." O Jaime normalmente não pensa, diz. Mas o Rodrigo é um senhor. O Jaime dá pelo nome de Leila às sextas à noite num bar estranho da Costa da Caparica.
  2. A Cristina refere-se a si mesma na terceira pessoa. Muito negativo, para não usar a expressão dos adolescentes e dizer "bué NOT". Os futebolistas fazem isso e passa despercebido porque toda a gente sabe que eles não tiveram acesso a escolaridade mínima. Não usam o léxico para fazer a vida, é - literalmente - tudo ao biqueiro. Pelo que Tininha filha, caso me estejas a ler, deixa-te disso amor!
  3. Havia alguma confusão naquela mente, pode ser cansaço, saudades dos casacos do Goucha ou uma necessidade perversa de falar pela manhã com o psicólogo choné; mas a mulher não estava a acertar uma. Primeiro diz que se manda para as coisas de mona e depois logo vê, a seguir já sabe bem no que é que se mete antes de se enfiar nelas. Então em que é que ficamos, Tina!? Uma pessoa quer seguir-te as pisadas e assim não há meio de saber se salta se espera, filha.
  4. A história do bebé que a ouvia era desnecessária. Ponto. Mesmo.
  5. A Cristina tem uma amiga que lhe disse que a saída dela da TVI se parecia com a morte da Princesa Diana. Antes de mais essa amiga tem de ir com os porcos. Porque a pessoa tem problemas e ninguém precisa de amigos avariados do chapéu. Eu pessoalmente tento manter longe de mim qualquer comparação com gente que se tenha finado, especialmente com o próprio acontecimento que levou à sua passagem para o mundo dos que já quinaram. Depois ainda não há musica do Elton John. Eu sei que o Goucha tem casacos parecidos e acredito que seja tão diva quanto o Elton, mas O Sir Elton John é o Sir Elton John. De qualquer maneira, caso queiram ainda chamar a Maria Leal para lançar um beat no Candle in the wind eu sugiro um "Sai uma vela p'a Malveira", que me parece mais fiel à destinatária.
  6. O pai da Cristina gosta deles finos. Ai mulher, todos sabemos que te referias aos copos, mas com tantos anos de televisão ainda não aprendeste que se tiram frases de contexto? Raios te partam, pá! Atão primeiro dizes que gostas deles grossos e rematas a dizer que o teu velhote gosta deles finos?! Estás a pedi-las, caramba!
  7. A Cristina começou a trabalhar em televisão a ganhar 500 €. Eu pessoalmente fiquei chocada, porque nunca conheci ninguém que tivesse ganho isso. Só me dou com gente que ganha de 45000 p'a cima. É que nem se sentam à minha mesa sem recibo comprovativo de condição financeira. Depois diz que aceitou o projeto sem saber sequer o que ia ganhar indo mais uma vez contra o que disse no inicio, parece que estava embriagada o lá o que era; porque primeiro é de cabeça, mas logo a seguir é sabendo bem onde se mete. Qualquer coisa de que a estação sabe o valor dela e que sabe que ela vai render mais do que ela vai ganhar. (eu aqui já estava mesmo muito cansada de a ouvir) Suponho com isto que a Tina não estava a contar em ganhar 750€ + passe + ticket restaurante a 1,34€ por dia. Querida ou uma coisa ou outra. Ou sabes o que vales e o que mereces ganhar e que independentemente do projeto não irias por menos; ou então não sabes e não falas de valores.
  8. A entrevista acabou porque o Rodrigo desistiu de continuar a fazer perguntas uma vez que a mulher não intervala. Parece que fala em apneia. Uma coisa é certa, um dia que vá p'a outra banda pode deixar uma pipa de massa, mas não lhe fica nada encravado por dizer. Benzádeus!

Não posso dizer que tenha ficado mais leve depois de escrever isto, porque fui penicando um duchaise para ter inspiração, mas a verdade é que consegui listar o essencial.

Muita sorte à Tina e mais ainda a quem assiste. 

Deus, eu e quem é cá de casa sabemos que não dou nem meio ponto às audiências, nada contra a estrutura do programa que é ultra secreto, é mesmo por questões de saúde, foi o médico que proibiu.

 

6 comentários

Comentar post

Mais sobre mim

foto do autor

Visitas

contador de acesso grátis

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Sigam-me

Arquivo

  1. 2018
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D