Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]

Casa da Gorda

Casa da Gorda

Ter | 05.03.19

Se a Gorda fosse jornalista: entrevista com Mães com Pinta

Gorda

instante-ana-e-olga-125.jpg

 

 

Hoje temos connosco o leopardo fêmea das mães, tenho o prazer de apresentar (uma pessoa que toda a gente conhece) a Ana Neves, autora do blog “Mães com Pinta” (Instagram e Facebook). A Ana é a mulher dos 487,4 ofícios (sete não dava para descrever a quantidade de coisas que esta mulher faz) e, apesar disso, aparece sempre com um sorriso (que não existirá quando chegar ao fim desta entrevista) e umas palavras amáveis para responder às pessoas que a contactam.

A Ana é psicóloga, é mães de 2 crianças adoráveis (em foto são, na vida real apenas a Ana pode dizer, porque a criança em estático é sempre a criança em estático, dá aquele ar de sossego que não corresponde à realidade), é casada, tem o blog “Mães com pinta”, faz cake design e outras coisas de trabalhos manuais, o que para mim é wow, fora de série e, como ainda não tinha nada com que se entreter, arranjou uma cadelinha Golden Retriever que fará todos os possíveis por garantir que sua dona irá contactar de forma muito próxima com a natureza.

 

Maneiras que não me vou alongar mais com conversa da treta e vou passar à entrevista que é o que as pessoas querem ler na verdade.

(faz de conta que houve lugar àquele momento de “Bom dia. Como está? Bem obrigada.” e passamos ao que interessa)

 

CG - O nome do seu blog é “Mães com pinta”, compreendo que seja um padrão têxtil muito requisitado neste momento, mas leva-me a uma questão periclitante: o que tenciona fazer quando as riscas voltarem em força e as pintas passarem à história?

 

McP (Mães com Pinta) - Sabes Gorda não estou mesmo nada, nada preocupada com isso. Tenho a certeza que as pintas nunca passarão à história. Mas deixa-me lá explicar-te o porquê da minha convicção. Quando decidi criar o blogue, estava a passar por uma fase menos boa, tinha acabado de ser mãe, precisava desabafar e compreender o que se estava a passar comigo. Sentia-me perdida, sem chão e até sozinha. Nessa altura, recordo-me de pensar, no nome do blogue e de o querer associar às mulheres da minha vida. Não me saía da mente a minha avó e a minha mãe. Passaram mil e um nomes pela na minha cabeça, mas assim que surgiu Mães com Pinta, pensei logo é isto. É isto. É tão isto.  A minha avó foi a mulher com mais Pinta que conheci. Era muito trabalhadora, lutadora e super elegante. Tinha um cuidado exímio com tudo. A minha mãe também herdou dela muitas das suas qualidades e das suas características. Ela e a minha mãe marcaram a minha vida e a elas devo a minha existência. E este Mães com Pinta é delas, para elas e também para as minhas duas pintas Duarte e Fernandinho.

Entendes agora a minha certeza? Todas temos uma Pinta na nossa vida, uma marca ficará para sempre no nosso coração e que nunca deixará de existir, nem em padrão têxtil! 

 

CG - Se eu a convidasse para organizar a minha festa de aniversário aceitaria? Requisitos mínimos para a festa: a) tema 50 sombras de Grey (escuras como o breu, que é uma coisa que não há em inglês); b) o bolo teria de ter tamanho real (só para que não haja enganos, gostaria que fosse uma das malas da Prada que o rapaz oferece à mocinha); c) prenda mínima: cão de água português. Sempre sonhei em ter um cão com o mesmo penteado que eu.

 

McP - Opá eu organizo o que tu quiseres, o tema já está escolhido, agora é só dizeres o local e a data. Já agora, para o bolo estou a pensar num daqueles falsos, gigantes com abertura no topo. Estas a imaginar? Já falei com o Bradley Cooper e ele disse-me que terá todo o gosto em “sair” do teu bolo, até faz um striptease se pretenderes, mas aviso-te já que o orçamento irá aumentar de forma gigantesca. Quanto à prenda, essa fica para o ano, já vais ter muito com que te entreter! O Cooper agora está habituado a ter duas mulheres ao mesmo tempo, por isso terás de “dar o litro”!

 

CG - Vi no seu Estagrã que ofereceu uma cadelinha ao seu filho mais velho. Este é um espaço seguro e eu faço ocasionais constatações sobre a vida. Dito isto, como pode calcular, sendo um Golden Retriever é a mãe da criança que o vai passear nos próximos 9 anos e 6 meses. Depois o seu rebento será adolescente e vai ter coisas melhores para fazer, por exemplo namorar com uma rapariga que a mãe não aprova. Assim, e passando aos temas que definem o Universo, importa saber se pretende adquirir uma flexi leash ou uma trela curta (tipo cabo de barco) e 10 sessões de treino com o Cesar Millan para a bicharoca? Recomendo a primeira se gostar de natureza, porque é provável que, mesmo sem vontade, acabe a abraçar muita árvore.

 

McP - Estou fodida (desculpa a linguagem) com a cadela. Nem imaginas. Já a amo de paixão mas este primeiro mês já pensei devolvê-la montes de vezes. Ela estraga tudo, come tudo, gosta de roer tudo, quando digo tudo é mesmo tudo. Degraus, porta, tapetes, sofás, brinquedos, cadeiras, cortina, por isso acho que vou optar mesmo pelas 10 sessões de treino com o Cesar Millan. Como ele diz “nunca trabalhe contra a mãe natureza”, então ele que a ensine pf.

 

CG - A amamentação é um tema que a aporrinha, na medida em que pessoas estranhas se sentem no direito de decidir o que deve fazer com as suas mamas (doravante passarei a referir-me às suas mamas como Claudileine e Maria do Pecado, pareceu-me correto dar-lhes nome para que sintam que não são mais duas na multidão, têm rosto). Dito isto, concorda com os nomes? Gosta de sopa passada ou, como boa mulher do Norte prefere sopa de entulho? Acha que Claudileine e Maria do Pecado são mesmo propriedade sua ou que 50 % passou a pertencer ao seu marido, em resultado do casamento por comunhão de bens?

(temos sempre uma questão kinder, não é de chocolate, mas cria 3 vezes mais satisfação)

 

McP - Concordo em pleno com os nomes! Relativamente à sopa, eu adoro a sopa de entulho, com muito feijão, carne, couve, batata, nabo, etc ,mas o meu intestino não concorda. A “minha” doença de crohn, queixa-se automaticamente e eu é que sofro, portanto é algo que me vejo obrigada a evitar.  Em relação à Claudileine e Maria do Pecado são minha propriedade, estão até registadas no INP, mas de vez em quando até deixo o meu marido usar! Ele merece, não é fácil me aturar!

 

CG - Em 2030 o seu filho mais velho pede-lhe que lhe financie uma volta ao mundo, mas a Ana considera que é excessivo e não está preparada para que o seu filho ande por terras menos seguras, por isso oferece-lhe uma viagem a Ibiza. Anos mais tarde, em 2065, a Ana compreende que a velhice está a atacar e diz ao seu filho que gostaria de ir para um bom lar (daquelas residenciais sénior todas dondocas com vista mar e coiso). Ele coloca-a num asilo, com um quarto sem janela, em que a única atividade disponível é jogar à sueca às quartas-feiras à tarde.

Qual das seguintes emoções lhe causou esta perspetiva de futuro:

a) Ficou tão arrepiada que não vai conseguir continuar a trabalhar;

b) Começou uma conta poupança para patrocinar a viagem ao miúdo, caso se verifique esse pedido;

c) Ficou com uma profunda vontade de espetar um valente banano à entrevistadora;

d) Está arrependida de ter aceite participar nesta palermice.

Por favor, se ainda tiver estômago, fundamente a sua resposta.

 

McP - Resposta B, ele tem uma conta poupança desde que nasceu. Aos 18 anos que faça o que quiser com o dinheiro mas filho, se por acaso tiveres a ler esta entrevista, em 2030 e se me quiseres levar contigo, eu vou com todo gosto e prometo não ser estorvo na tua viagem.

 

CG - Ora pois que não podemos ir embora sem que complete a seguinte frase “Quando consigo pespegar com os putos na casa de amigos ou família eu…”

 

McP - …penso que estou no céu!

 

CG - O que diz o seu estômago depois de comer uma francesinha?

 

McP - Soube-me a pato!

 

Obrigada Gorda por esta entrevista e tenho a certeza que és uma Mãe cheia de PINTA!

OBRIGADA

 

 

Para mais conteúdos podem sempre acompanhar a Gorda no Instagram.

Ou ainda na conta de Facebook.