Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Casa da Gorda

Casa da Gorda

16.07.19

A vida vai normal em julho

Gorda
    Gostava de poder dizer que estou a trabalhar num livro, que tenho a capacidade criativa para aí virada e que com a vida atribulada que tenho não me tem chegado tema para decompor por aqui. Mas a verdade é mais crua e tão terra a terra que se sente o cheiro a lama seca do calor que São Pedro tem enviado. O trabalho é muito, o filho é só um mas precisa de espaço na vida da mãe, naturalmente; e a casa anda em pantanas vai para três meses. Os ciclistas perderam o pódio da (...)
23.04.19

Coisas que aprendi ao preparar a minha casa para as obras

Gorda
    (vamos todos respirar fundo depois deste titulo "pequeno")   Sabem aquela coisa de escrever um livro, ter um filho e plantar uma árvore? Pois é, nunca percebi a raciocínio por detrás disso. Parece-me sempre tremendamente redutor balizar os objetivos de vida em três pontos iguais, como se fossemos cópias uns dos outros. Para além disso não me lembro de um tempo na minha vida onde eu tivesse apenas três objetivos. Ou estava numa fase de deixar andar e não tinha nada em (...)
19.04.19

Vamos chamar isto de "Vida"

Gorda
    Há poucas coisas piores para a vida do que a própria vida. Talvez um camião cisterna a 130 km/hora se coloque ligeiramente acima, mas de resto a vida consegue fazer tudo sozinha. A vida é como aquele tio bêbado que todas as famílias têm, está sempre a dizer que vai deixar o álcool, passa uns meses bem, recupera as rédeas e depois, mas tarde ou mais cedo, alguém vai dar com ele atravancado ao balcão de uma tasca depois de quatro garrafas de moscatel. E começa tudo (...)
03.01.19

Just doing the best I can

Gorda
    O que é esperado de mim? Que seja uma mãe ideal, bem vestida e aprumada mesmo quando o miúdo acabou de se vomitar todo, a que leva biscoitos caseiros para os aniversários da escola, que não ralha e sabe sempre as palavras certas para resolver qualquer frustração. Aquela que nunca se queixa e vê unicórnios que dão bufas de alecrim quando pensa na alegria da maternidade. Que seja uma mulher bonita, arranjada, composta, uma senhora que fala de forma eloquente e não usa (...)
22.12.18

Paixonetas - da saga que nunca comecei "memórias esporádicas"

Gorda
Ontem, a propósito dos coletes amarelos acabei por vos falar de uma paixoneta que tive na minha adolescência. Essa foi apenas uma das várias paixonetas parvas que tive e que, graças a Deus, nunca deram em nada.   A primeira vez que me enamorei foi na primeira classe, ele chamava-se Tiago e eu nunca lhe disse que gostava dele. Um dia a minha melhor amiga (que hoje seria uma BFF), na sequência de uma zanga comigo, foi contar-lhe que eu gostava dele. O rapaz, muito certo das (...)
06.11.18

Respira e inspira

Gorda
  Se tivesse de me descrever diria que sou uma pessoa ansiosa, excessivamente preocupada com tudo e mais alguma coisa, demasiado stressada com os temas grandes de ainda mais com os pequenos. Sou o tipo de pessoa que usa o humor em quase qualquer situação da vida, não porque tenho uma perspectiva doce e positiva, mas porque acho que de facto, às vezes, não há mais nada a fazer para além de rir disto tudo.   Há uns anos inscrevi-me no Yoga. Ia uma vez por semana porque quando (...)
01.11.18

Compromissos, novidades e notas

Gorda
     (*imagem retirada do Google)   Compromissos   Sou aquele tipo de pessoa que anda sempre à rasca com tempo. Chego ao final do dia estafada, entre o estar a mil e capaz de "ainda fazer mais uma coisinha" e desmaiar de cansaço em cima da cama. Quando me apanho com 2 horas livres começo a magicar coisas para fazer.  Foi assim que nasceu este blog. Escrevo por gosto, andava com uma ideia na cabeça, pus-me a trabalhar nessa ideia e começaram a surgir outros temas. Achei que em (...)
18.10.18

Humor de cansaço

Gorda
Ontem tentei escrever o texto de hoje. Não consegui. Só me ocorriam larachas menores, sem piada final. Enfim, uma tristeza. Hoje, sentada a olhar para uma folha branca pergunto-me: porque raio uma pessoa não consegue fazer com que isto brote ao toque de uma sineta. Em principio sabemos o que nos faz rir, sabemos escrever, gostamos de juntar as palavras, então porque é que não sai? Podia falar de puns, de pipis, da Maria Leal, da demissão do Azeredo, tanta coisa, mas não me dá para aí.
14.10.18

Born to be pobre

Gorda
Na semana passada andei a dar uma primeira volta ao meu guarda vestidos (adorava dizer que é um closet, mas....) para ver o que é que ainda tenho que sirva para esta nova estação de frio e o que é que tenho de comprar novo. Roupa esgaçada, borboto, botas a descolar e outras maleitas de roupa não-requintada. Decido que havia de começar por comprar um bom par de botas. Não queria saber do preço. Na segunda-feira entrei na loja de eleição, virei as botas, vi o preço na sola e (...)
09.10.18

Lamento, mas o humor hoje não pode vir

Gorda
Algo de muito errado se passa no mundo em geral, alastrando-se ostensivamente para o meu em particular. Kim Jong Un é "dono" de um país onde as pessoas usam cortes de cabelo definidos num menu, não têm acesso ao mundo exterior e até pensam que ele é uma espécie de pessoa decente. Contra todas as expectativas Trump tornou-se presidente da terra dos livres. Um país que devia servir como exemplo ao mundo, é agora gerido por um homem que acha que se deve construir um muro para (...)