Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]

Casa da Gorda

Casa da Gorda

Dom | 30.12.18

Votos de Bom Ano Novo, à moda da Gorda

Gorda

(o titulo deste post é como os pratos típicos dos restaurantes, "é à casa" que quer dizer que não se sabe bem que mistela vem lá dentro, mas olha, vamos experimentar para ver.)

 

 

ano novo.gif

 

 

 

Estamos mesmo na reta final do ano e na ânsia de que 2019 seja um pote de ouro que nunca vi em 35 anos de vida, decidi debruçar-me mais um pouco sobre esta coisa que são as resoluções de ano novo. Sei que já escrevi qualquer coisa, mas com o ano novo à espreita e as lojas de roupa a parecer a feira do relógio, afugentando pessoas que têm medo de gente que cega civicamente nos saldos, decidi voltar à carga com os objetivos de ano novo.

Não são resoluções, não são desejos, são objetivos. Vou fazer mindfullness e pensaness e merdaness e tudo, vou visualizar o objetivo e digo-vos, até os mortos voltam à vida.

 

Comecei por levar a cabo um inquérito a mim mesma quando me encontrei à porta da minha casa e compreendi que nos últimos 35 anos as coisas nunca foram ao encontro das minhas resoluções. Não me recordo que tipo de pensamentos poderia ter com 1 ou 2 anos, mas estou certa de que já envolviam uma maior vontade para locomoção e a capacidade de beber mais leite sem que a minha peida pesasse mais.

As resoluções são meramente coisas que uma pessoa faz sem pensar, com o propósito de entreter um pedaço de tempo em que está fortemente embriagado, fingindo que com a passagem de ano a nossa vida se vai transformar na de outra pessoa qualquer (se possível a da Jennifer Lopez, se não der essa a da Rita Pereira), o que, invariavelmente, participa para um mês de janeiro ainda mais deprimente. É por isso que este ano decidi fazer uma lista de resoluções nunca antes vistas.

 

É preciso que nos amemos e que estejamos focados no que queremos fazer. A força da nossa vontade e do nosso pensamento têm um poder extraordinário (quase vomitei depois de escrever esta frase).

 

Deixo-vos com a minha lista de objetivos para 2019, sei que alguns serão céticos e irão achar descabido e parvo até, mas isso é porque vocês são almas sem fé, destinadas a arder no calor do inferno.

 

Atentem e aprendam minhas alheiras de porco preto (ai que o PAN me fecha a casa….):

 

Passa 1. Vou escolher os números atentamente e vou garantir que ganho o Euromilhões porque estou farta de ser pobre.

 

Passa 2. Vou ser promovida a CEO da empresa em que trabalho (que é uma coisa que faz um sentido do ca..ca..catano (menos asneiras faxavore), porque uma vez multimilionária tenho mesmo interesse em continuar a moer a cabeça com problemas vários).

 

Passa 3. Vou crescer 15 centímetros.

 

Passa 4. Vou descobrir uma forma mágica de comer como uma porca e ficar magra como a Gisela.

 

Passa 5. Vou inventar um aparelho que permite que eu fique totalmente tonificada sem me levantar do sofá.

 

Passa 6. Vou fazer um retiro espiritual na Índia e vou voltar de lá tão zen que nem os cães me vão reconhecer. Eles vão pensar “porra o que é que fizeste à gaja que mora cá em casa, que é uma stressada do caraças e que está sempre a querer que a gente cague à pressa”.

 

Passa 7. O meu cabelo vai começar a crescer loiro, liso e vai tornar-se denso e forte. Lá para Julho as pessoas vão começar a confundir-me com a Rapunzel e os gajos da construção vão pedir-me ajuda para usar os meus cabelos para levar baldes de cimento para o último andar.

 

Passa 8. Vou escrever um livro tão introspetivo que o António Lobo Antunes até se vai passar. Tão dentro e fora e dentro e fora das caixas e dos alguidares todos, que o Saramago até volta à vida só para dar uma conferência de imprensa a dizer que o “Ensaio sobre a cegueira é uma merda ao pé daquilo”. Vão dar-me logo o Nobel porque não precisam que eu fique velha para saber que eu sou um génio.

 

Passa 9. Vou dar o guito do Nobel a um arrumador que trabalha ali à porta da Loja do Cidadão de São Domingos de Benfica, para ver se o gajo, depois de rico rico, deixa de moer a cabeça a quem tem de renovar o cartão de cidadão. Parece-me ser muito melhor serviço público do que ajudar crianças com necessidades. Posso dar o guito porque, tal como referi na passa 1, vou ficar milionária.

 

Passa 10. Vou lançar um disco. Música e letra da Gorda. Vou arrebatar todas as feiras de norte a sul do país. Vou destronar o peru epilético com amigdalite crónica (também conhecido por Maria Leal) ter mais visualizações no Youtube que o "Gangnam Style".

 

Passa 11. Vou fazer uma tourné de sitting-down comedy, eu e o RAP. Vamos percorrer todas as tascas do país e visto que é uma tourné nacional, vamos acabar em grande enchendo o Olympia de Paris de tugas emigrantes.

 

Passa 12. Vou descobrir que a Teoria da Relatividade é relativa e o Einstein vai voltar à vida para dizer que eu sou mais esperta que ele, elogiando sobejamente o meu penteado e salientando que nunca pensou possível que alguém com um cagueiro melhor que o da Rita Pereira pudesse ser mais inteligente que ele.

 

Todos estes objetivos têm a mesma probabilidade de ser alcançados que as minhas resoluções de 2018, 2017, 2016, 2015…..pelo que se é para avacalhar que seja em grande.

 

Pessoas lindas, minhas chamuças picantes, minhas alheiras de Mirandela, meus pães de ló com doce de ovo, que tenham um ano novo repleto de bebida, que comam as passas pelo sítio certo, que não se esqueçam de pedir saudinha e que não borrem as cuecas novas, para que aquela magia das cores tenha efeito e vocês consigam tudo o que a cuequinha promete.

 

Se não nos falarmos até lá, bom ano novo, tudo a portar-se mal e favor de entrarem com os 2 pés ao mesmo tempo, que a ciência ainda não provou que o direito é melhor que o esquerdo (os coxos entram como podem e os pernetas com o que têm).

 

Até 2019

(parece que é longe, dito assim, mas lá para quarta feira já vos estou a moer outra vez)

 

Para mais conteúdos podem sempre acompanhar a Gorda no Instagram.

Ou ainda na conta de Facebook.